sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Porque as vezes a razão quer dar sentido ao que deveria ser sentido.


Eu ando RAZÃO demais.
Sempre fui muito mais SENSAÇÃO do que RAZÃO. Eu era mais profundo, do que raso, nesse sentido... Não me importava com o significado do que as pessoas me diziam na hora que elas me diziam, apenas era se eu gostava ou não daquilo, e as sensações que aquilo me trazia. Isso passou, e é uma pena.
Meio que perdi a inocência disso. Faço o impossível, o que deveria ser proibido de se fazer: Eu questiono. Não que questionar seja um pecado (embora seja, para os que acreditam) a questão é a necessidade de às vezes querer dar sentido, ao que deveria apenas ser sentido.
Eu me ruborizo ao ouvir e ler, e fico feliz, e me aqueço por dentro... Mas depois, é como se eu quisesse saber o porque daquilo. Mania de explicações, mania de motivos, mania de dissertação...
Sábias palavras. Tenho mania de dissertação. De tanto confiar e errar, passei a desconfiar sempre. Confio, me apaixono, me entrego e me envolvo... Mas, é como se aqui dentro uma dúvida persistisse: “Até quando?”.
Não queria cair de novo, não agora... Mas, tenho caído tanto quando o assunto é sentimento... E sempre fui tão bom em aprender as coisas, mas, de tantas perguntas, deixo até o mais motivado e interessado em me ensinar de saco cheio. Sou chato por isso. Me sinto chato. Mas, na hora que faço a pergunta, as perguntas, aquela resposta parece ser a única saída, e depois a próxima, e a próxima, e a próxima...
Acho que estou viciado em perguntar... Não tinha pensado nisso ainda, mas, acho uma possibilidade plausível.
No fim, só te peço paciência. Corri por anos, em lugares aonde eu não podia confiar em quase ninguém... Vou demorar a simplesmente viver e sentir o vento da vida me levando... Mas eu quero, e quero ao seu lado...
Apenas me dê tempo, tenha paciência...


“O mundo vai girando
Cada vez mais veloz
A gente espera do mundo
E o mundo espera de nós
Um pouco mais de paciência...

Será que é tempo
Que lhe falta pra perceber ?
Será que temos esse tempo
Pra perder?
E quem quer saber ?
A vida é tão rara
Tão rara...

Mesmo quando tudo pede
Um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede
Um pouco mais de alma
Eu sei, a vida não para
A vida não para não...”