sexta-feira, 17 de julho de 2009

Meus caros.
Saudades de ver minhas letras que não me pertencem estampadas nesse fundo escuro e calmo.
Mas as palavras me abandonaram, junto com toda a esperança e a vontade de encontrar alguém.

Mas,
"Não quero lhe falar,
Meu grande amor.
Das coisas que aprendi nos livros..."

Estou com uma pergunta e com a vontade de respondê-la,
e, quando escrevo, minha cabeça pensa junto com o universo inteiro...
E as respostas fluem em mim, tal qual eu e o universo.
E a poesia, o que é poesia?
Não me venha, caro e tolo, com definições de dicionário...
Me diga de verdade, como voce sabe que aquilo é poesia?

Simples.
Poesia é a ordem do universo, não tem lingua ou idioma, existe e se manifesta por si só. E a linguagem é só uma limitação.
Poesia não se entende nem se desvenda, se sente.
Podes ouvir uma poesia de amor susurrada em arabe, e tu saberás que é poesia, e que é amor... E reconhecerás um poeta.
Todos sabem, sou critico da poesia pelos simples prazer da perfeição silabica.
Me traga o sentimento perfeito expressado em uma poesia sem rimas e sem sentido,
que ficarei muito mais emocionado.
Poesia é isso:
- Sentimento.
E poeta é aquele que sabe ensinar em palavras como se sente, e faz-se sentir.
A boa poesia é como um manual...
Se eu fosse bom poeta,
e nesse texto falo de coisas sobre as quais desconheço, amo e ao mesmo tempo morro de duvidas, e sem essas coisas eu não existo. Deveria eu, causar em voce, esses mesmos sentimento.
Mas não sou poeta, nem sou bom.
Sou louco...
"... Tem amor Demais... Tem de tudo um Pouco..."



Um texto aos meus amigos de sempre, e vocês sabem quem são. As amigas que tenho grandes saudades, entre elas, Hannah e Aline Mohr. À Prii. Porque ela é chata.
E à uma infinidade de mulheres que amo, amei e ainda amarei, em silencio...

Obrigado.